Mostrando entradas con la etiqueta religião. Mostrar todas las entradas
Mostrando entradas con la etiqueta religião. Mostrar todas las entradas

Acusados de tomar banho - Santa Inquisição Espanhola

A Inquisição espanhola é, dentre as demais inquisições, a mais famosa porque mais marcante na memória. Atuou por mais de 300 anos, de 1478 a 1834. O historiador norte-americano David Landes, por exemplo, relata-nos: "A perseguição levou a uma interminável caça às bruxas, repleta de denunciantes pagos, vizinhos bisbilhoteiros, e uma discriminatória 'limpieza de sangre'. Judeus conversos eram apanhados por intrigas e vestígios de prática prosaica: recusa a comer carne de porco, toalhas lavadas à sexta-feira, uma prece escutada de soslaio, frequência irregular à igreja, uma palavra mal ponderada."

A higiene era uma causa de suspeita em si, e o ato de tomar banho era visto como uma prova de apostasia (renúncia ou abandono de uma crença religiosa; dependendo de cada religião, um apóstata, afastado do grupo religioso no qual era membro, pode ser vitima de preconceito, intolerância, difamação e calúnia por parte dos demais membros ativos; um caso extremo, é aplicação da pena de morte) para marranos (designa os descendentes de judeus convertidos à força ao cristianismo) e muçulmanos. A frase "o acusado era conhecido por tomar banho" é comum nos registros da Inquisição.
Sujidade herdada: as pessoas limpas não têm de se lavar. Em tudo isto, os espanhóis e portugueses rebaixaram-se. A intolerância pode prejudicar o perseguidor (ainda) mais do que a vítima. Deste modo, a Ibéria, e na verdade a Europa Mediterrânica como um todo, perdeu o trem da chamada revolução científica".

Leia mais na Wikipédia  (en español, aquí) | A inquisição no Brasil e em Portugal


Métodos de tortura e execução na Idade Média
"Durante a atuação da Santa Inquisição em toda a Idade Média, a tortura era um recurso utilizado para extrair confissões dos acusados de pequenos delitos, até crimes mais graves. Diversos métodos de tortura foram desenvolvidos ao longo dos anos. Os métodos de tortura mais agressivos eram reservados àqueles que provavelmente seriam condenados à morte.
Além de aparelhos mais sofisticados e de alto custo, utilizava-se também instrumentos simples como tesouras, alicates, garras metálicas que destroçavam seios e mutilavam órgãos genitais, chicotes, instrumentos de carpintaria adaptados, ou apenas barras de ferro aquecidas. Há ainda, instrumentos usados para simples imobilização da vítima. No caso específico da Santa Inquisição, os acusados eram, geralmente, torturados até que admitissem ligações com Satã e práticas obscenas."

Veja mais: Spectrum Gothic [O, en español, aquí]



Documentário BBC A Verdade Brutal, dublado em espanhol
Ver também: Máquinas de Maldades - Inquisição


Veja ainda: A história do vaso sanitário

Canal en Youtube | Canal en Telegram

Compartir

Qual a origem da expressão "tener mala leche"?

"La vinculación entre el lácteo y las ‘malas pulgas’ viene por la asociación que se le daba desde tiempos antiguos a que los bebés absorbían la personalidad de quién les daba de mamar. Era una práctica muy común el hecho de contratar a ‘nodrizas’ que se encargaban de amamantar a los hijos de otras mujeres que acababan de parir y no podían alimentar a sus hijos." Leia mais

"Durante muchos siglos se pensaba que a través de la leche con la que se amamantaba a un bebé se le hacían llegar las virtudes y los defectos de la madre o la nodriza. De ahí que tener mala leche tiene su origen en la creencia de que la persona en cuestión había sido alimentada con leche, digamos 'defectuosa' o poco virtuosa." Leia mais

"El origen de la expresión se remonta a la antigua creencia de que la leche con que se amamantaba influía en el carácter. San Agustín recomendaba que los niños cristianos no fueran amamantados por amas paganas, porque esto influiría negativamente en su fe." Leia  mais

Descubra mais sobre "mala leche" e outras expressões em espanhol.

Veja ainda: Me cago en la leche | "O acusado era suspeito de tomar banho"

Canal en Youtube | Canal en Telegram

Compartir